Governo realiza obras de esgotamento sanitário no interior do Estado

O Governo da Paraíba está realizando obras de esgotamento sanitário nos municípios de Coremas e São José de Piranhas. A ação é executada com recursos da ordem de R$ 12,4 milhões, oriundos de parceria com o governo federal, beneficiando mais de 35 mil habitantes dos dois municípios.

A obra de esgotamento sanitário de São José de Piranhas consiste na construção da rede coletora de esgotos, com 11.200 metros, quatro lagoas de tratamento e estação elevatória. Os trabalhos tiveram início em primeiro de agosto de 2020 e a previsão de conclusão é setembro de 2021, com investimento de R$ 5.782.012,77. Serão beneficiados 20.053 habitantes do município.

Para o secretário de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente, Deusdete Queiroga, a obra elimina a utilização de fossas na cidade, que acarreta a poluição do lençol freático e, consequentemente, ao meio ambiente. “Também é de fundamental importância por ser o município de São José de Piranhas, porta de entrada do Eixo Norte da transposição de águas do Rio São Francisco”, ressaltou Deusdete.

Em Coremas, a obra tem extensão de 12 mil metros de rede adutora, três lagoas de tratamento e uma estação elevatória. Iniciada em janeiro de 2019, com previsão de conclusão em dezembro de 2021, a obra representa investimentos de R$ 6.672.000,00 e vai beneficiar 15.418 habitantes do município.

De acordo com o secretário, o Governo da Paraíba está investindo um valor significativo de recursos em obras de esgotamento sanitário em todo o Estado. “Pela Secretaria de Infraestrutura estão sendo construídos os sistemas de esgotamento em nove cidades do Cariri, quatro cidades do Sertão, duas iniciadas e duas em fase de desapropriação para iniciar. E a Cagepa também está realizando obras em mais oito cidades do Cariri”, ressaltou o secretário.

O objetivo é melhorar o percentual de cobertura do serviço para a população paraibana. Como avaliou Deusdete Queiroga, “a cidade de João Pessoa está entre as capitais com melhor percentual de cobertura de esgotamento sanitário (80 por cento) e Campina Grande está com cobertura acima de 95%. O Governo mantém o foco nas cidades do interior, visando elevar o atendimento e com isso melhorar a assistência a população no tocante à saúde pública, bem como a questão do meio ambiente”.