Desempenho da Cagepa em CG coloca companhia entre 20 melhores resultados do país

A edição 2020 do Ranking do Saneamento elencou a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) como parte do seleto grupo de 20 melhores resultados entre empresas de saneamento do País. O destaque é resultado do trabalho desenvolvido pela Cagepa no município de Campina Grande, que é a 16ª cidade mais bem colocada do país e segunda melhor posicionada entre todas as cidades do Nordeste.

A nova edição do levantamento lista os serviços prestados pelas empresas de saneamento nas 100 maiores cidades brasileiras e utiliza dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). O Instituto Trata Brasil, que organiza o estudo, registra na publicação o ótimo desempenho de Campina, que subiu oito posições de um ano para outro; na edição anterior, a cidade ocupava o 28º lugar do ranking. No estudo, Campina Grande apresenta 100% de abastecimento de água e 94% de atendimento urbano de esgoto.

“Em tempos onde se discute tanto a urgência da priorização do saneamento em nosso país, temos um abastecimento universalizado de água e 94% de esgotamento sanitário em Campina Grande, o que é bastante superior ao restante do Brasil, que coleta, em média 52,4% do esgoto. Os números nos colocam acima da média, mas, a meta do governador João Azevêdo é não nos acomodarmos e buscarmos sempre melhorar os serviços. Portanto, seguimos trabalhando para alavancar ainda mais esses índices”, disse o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Fernandes Neves.

Cagepa investiu na melhoria da infraestrutura hídrica em Campina Grande, nos últimos anos

Exemplo na contenção de perdas– Dos 100 municípios considerados no Ranking do Saneamento, apenas nove possuem níveis de perdas de faturamento total iguais ou menores que 15% (valor usado como parâmetro ideal para o indicador de perdas). Campina Grande figura nesse grupo, com o melhor índice de perdas no faturamento (9,45%) do Nordeste.

Segundo o Instituto Trata Brasil, esses municípios que estão conseguindo gerir bem o desperdício, consequentemente, aumentam a disponibilidade hídrica para seus usuários. Além disso, Campina Grande também detém a melhor posição de perdas na distribuição (26,67%) entre as cidades da região Nordeste. “O índice de perdas por faturamento mede a água produzida e não faturada, levando em conta o volume de serviços. Já o índice de perdas na distribuição se refere à diferença entre a água produzida e a efetivamente consumida, tanto medida quanto estimada. Por exemplo, é o desperdício que acontece quando o hidrômetro está quebrado, assim como o que se perde devido a vazamentos e ligações clandestinas”, explica Marcus Vinícius.

João Pessoa – A outra cidade paraibana operada pela Cagepa e mencionada no Ranking do Saneamento 2020 é João Pessoa, que aparece como a terceira capital do país e a primeira do Nordeste mais bem posicionada no levantamento. A capital paraibana fica atrás apenas de Curitiba e São Paulo no Brasil.

Com atendimento universalizado de água e uma evolução no incremento em coleta de esgoto de 12 pontos percentuais nos últimos quatro anos, passando de 66,86% para 79,30%, o trabalho da Cagepa em João Pessoa permanece, por mais um ano, sendo destaque no estudo. A capital paraibana subiu da 32ª para a 26ª posição no ranking deste ano. No quesito perdas na distribuição, a Cagepa reduziu seu percentual gradativamente nos últimos quatro anos, chegando a 31,35%, o que confere a João Pessoa o posto de capital nordestina que menos desperdiça água na região.

Trata Brasil – Para compor o ranking, o Instituto Trata Brasil considera várias informações fornecidas pelas operadoras de saneamento presentes em cada um dos municípios brasileiros. Os dados são retirados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), elaborado no âmbito do Programa de Modernização do Setor Saneamento (PMSS), vinculado à Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades.