Cagepa é única empresa pública a compor time de palestrantes no Summit IoT 2019

Altamar Cardoso apresenta projeto da Cagepa no evento

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) é a única empresa pública do Brasil a fazer parte do time de palestrantes do Summit IoT 2019, maior congresso mercadológico de Internet das Coisas (IoT) do País. O projeto de monitoramento de redes de abastecimento de água em tempo real, desenvolvido pelos técnicos da companhia, foi selecionado entre os melhores cases de IoT do Brasil e o subgerente de Pesquisa em Tecnologia Aplicada da Cagepa, Altamar Cardoso, apresentou o protótipo aos participantes do evento.

O projeto piloto, utilizado em um dos sistemas do município de Guarabira, Brejo paraibano, aponta uma solução sustentável para “prever” uma falta d’água. O mesmo trabalho foi bem recebido e conceituado pela comunidade acadêmica durante participação no Congresso Brasileiro de Instrumentação, Sistemas e Automação (Cobisa) 2019, o que acabou validando a tecnologia e, consequentemente, a Cagepa para compor o dream team do Summit IoT.

“Nosso projeto foi apresentado e consagrado ao lado das maiores empresas e conglomerados do Brasil que fornecem soluções e serviços de tecnologias. Ou seja, estar nesse patamar confere à Cagepa, certamente, um prestígio imensurável e a legitimação de que temos em mãos um trabalho inovador e de excelência. Estou muito satisfeito em fazer parte desse momento de crescimento, visibilidade e vanguardismo da companhia”, disse Altamar.

O projeto consiste, basicamente, de placas eletrônicas instaladas em alguns pontos da rede. Elas medem a pressão das tubulações e essas informações são enviadas via internet para as equipes de monitoramento, que acompanham tudo em tempo real. Quando a pressão de determinada rede baixa, os técnicos já sabem que vai faltar água naquela região. Com a informação privilegiada, as equipes de manutenção poderão ser acionadas com mais rapidez.

Equipe de técnicos desenvolve tecnologia sustentável

O próximo passo é em breve, estender a instalação das placas nos sistemas de todo o Estado. As equipes também buscam homologar e patentear a invenção e, nesse sentido, a Cagepa já iniciou tratativas de convênio com o Parque Tecnológico de Campina Grande. De acordo com o subgerente de sistemas da Cagepa, Eduardo Arnaud, o diferencial para o mercado é que a tecnologia do projeto é robusta e eficiente, mas barata. “Uma solução de monitoramento similar, já existente no mercado, custa R$ 20 milhões. A nossa, com a mesma eficácia, consegue ser produzida em escala com R$ 1 milhão. O custo-benefício do nosso projeto é indiscutivelmente melhor”, demonstrou.

Depois das participações nestes dois grandes eventos de IoT do Brasil, a equipe de tecnologia da Cagepa recebeu convite para publicar o projeto numa revista especializada, começou a integrar um ambiente de colaboração entre as empresas que estão desenvolvendo na indústria 4.0, além de também participar de um grupo nacional com profissionais especializados em IoT.

O que é IoT? – IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas) pode ser compreendida como a gama de aparelhos e objetos ligados permanentemente à internet. Em suma, é como se essa tecnologia artificial fosse uma extensão aprimorada e inteligente da internet que usamos no cotidiano.